banner de publicidade do google na horizontal

CIPA significado

CIPA é uma sigla que significa Comissão Interna de Prevenção de Acidentes que tem por objetivo prevenir acidentes e doenças ocupacionais no ambiente de trabalho. Veja mais informações no artigo.

17/06/2022 - 10:18

Botão do WhatsApp

continua depois da publicidade

O que é CIPA?


A CIPA é a sigla para Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, regida pela Norma Regulamentar n. 5 do Ministério do Trabalho – MTB. Nesse sentido, é uma comissão que tem por objetivos prevenir acidentes e doenças ocupacionais no ambiente de trabalho, de modo a tornar compatível o trabalho e a preservação da vida e promoção da saúde do trabalhador.

Assim, vale salientar que é necessário implementar a CIPA para todas as empresas que tenham mais de 20 funcionários. Além disso, sempre haverá um número equivalente de empregados efetivos e suplentes, sempre havendo representantes da empresa e dos empregados.

Conceito doutrina


A doutrina conceitua a CIPA da seguinte forma:

“Pode-se ainda, completar como objetivo da CIPA sendo “observar e relatar as condições de risco nos ambientes de trabalho e solicitar medidas para reduzir até eliminar os riscos existentes e/ou neutralizar os mesmos…” Sua missão é, portanto, a preservação da saúde e integridade física dos trabalhadores, como citado anteriormente. O papel mais importante é o de estabelecer uma relação de diálogo e conscientização, de forma criativa e participativa, entre gerentes e empregados, em relação à forma como os trabalhos são realizados, objetivando sempre melhorar as condições de trabalho, visando a humanização do trabalho”

Fundamentação legal da CIPA


São atribuições da CIPA os termos constantes no tópico 5.1 da Norma Regulamentadora 05 do MTB:

“5.3 Atribuições

5.3.1 A CIPA tem por atribuição:

a) acompanhar o processo de identificação de perigos e avaliação de riscos bem como a adoção de medidas de prevenção implementadas pela organização;

b) registrar a percepção dos riscos dos trabalhadores, em conformidade com o subitem 1.5.3.3 da NR-01, por meio do mapa de risco ou outra técnica ou ferramenta apropriada à sua escolha, sem ordem de preferência, com assessoria do Serviço Especializado em Segurança e em Medicina do Trabalho – SESMT, onde houver;

c) verificar os ambientes e as condições de trabalho visando identificar situações que possam trazer riscos para a segurança e saúde dos trabalhadores;

d) elaborar e acompanhar plano de trabalho que possibilite a ação preventiva em segurança e saúde no trabalho;

e) participar no desenvolvimento e implementação de programas relacionados à segurança e saúde no trabalho;

continua depois da publicidade

f) acompanhar a análise dos acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, nos termos da NR-1 e propor, quando for o caso, medidas para a solução dos problemas identificados;

g) requisitar à organização as informações sobre questões relacionadas à segurança e saúde dos trabalhadores, incluindo as Comunicações de Acidente de Trabalho – CAT emitidas pela organização, resguardados o sigilo médico e as informações pessoais;

h) propor ao SESMT, quando houver, ou à organização, a análise das condições ou situações de trabalho nas quais considere haver risco grave e iminente à segurança e saúde dos trabalhadores e, se for o caso, a interrupção das atividades até a adoção das medidas corretivas e de controle.”

Veja mais informações sobre a Norma no site do Governo Federal.

Palavras relacionadas


Por fim, são palavras relacionadas à CIPA: a comissão, o direito dos trabalhadores, a segurança do trabalho e as normas regulamentadoras.

Veja mais significados no nosso Dicionário Jurídico.

Referência bibliográfica


ROMÃO, Jeferson, Normas Regulamentadora de Segurança do trabalho, 2013.

Camilla Viriato

Mineira, empreendedora e fundadora do Eu Tenho Direito. Camilla acredita que enquanto houver alguém querendo explicar de um jeito simples, haverá alguém capaz de entender. E é pela harmonia entre informação, inclusão e algoritmos que pauta seus trabalhos.

Camilla Viriato

Mineira, empreendedora e fundadora do Eu Tenho Direito. Camilla acredita que enquanto houver alguém querendo explicar de um jeito simples, haverá alguém capaz de entender. E é pela harmonia entre informação, inclusão e algoritmos que pauta seus trabalhos.

Veja também


>
Success message!
Warning message!
Error message!