banner de publicidade do google na horizontal

Eficácia preclusiva da coisa julgada significado

A eficácia preclusiva da coisa julgada acontece quando um processo transita em julgado e não pode ser ser julgado novamente. Entenda seu conceito doutrina, fundamentação legal no CPC, exemplo e muito mais.

23/06/2022 - 19:46

Botão do WhatsApp

continua depois da publicidade

O que é Eficácia Preclusiva da Coisa Julgada?


A eficácia preclusiva da coisa julgada é o efeito causado pela coisa julgada. Em outras palavras, quando um processo transita em julgado não pode ser julgado novamente. Assim, esta medida é adotada para dar segurança jurídica às partes do processo e para o ordenamento jurídico como um todo.

Conceito doutrina


Dessa forma, conceitua a atual doutrina quanto a eficácia preclusiva da coisa julgada:

*“impedimento à propositura de demandas incompatíveis com a situação jurídica definida na sentença transitada em julgado, na medida da incompatibilidade”.

** “nenhum juiz decidirá novamente as questões já decidida, relativas à mesma lide”.

Fundamentação legal


Continue depois da publicidade

Sobretudo, a previsão legal da eficácia preclusiva da coisa julgada está expressa no art. 505 e 508 do Código de Processo Civil – CPC:

Art. 505. Nenhum juiz decidirá novamente as questões já decididas relativas à mesma lide, salvo:

I – se, tratando-se de relação jurídica de trato continuado, sobreveio modificação no estado de fato ou de direito, caso em que poderá a parte pedir a revisão do que foi estatuído na sentença;

I – nos demais casos prescritos em lei.

Art. 508. Transitada em julgado a decisão de mérito, considerar-se-ão deduzidas e repelidas todas as alegações e as defesas que a parte poderia opor tanto ao acolhimento quanto à rejeição do pedido.”

Palavras relacionadas


Em resumo, palavras relacionadas à eficácia preclusiva da coisa julgada são: a sentença, a preclusão consumativa e a preclusão.

Eficácia preclusiva da coisa julgada exemplo


Em conclusão, a situação fática que pode ser usada como exemplo é: Em um processo é julgado procedente os pedidos do autor e após transitado em julgado, a obrigação já foi cumprida pelo réu. Entretanto, o autor propõe novo processo com as mesmas partes e os mesmos pedidos, mas tenta majorar a condenação. Desse modo, neste caso, não poderia o juízo aceitar a nova ação, visto que já tem a coisa julgada e a obrigação já foi adimplida por aqueles fatos.

Referência bibliográfica


Continue depois da publicidade

*LOPES, Bruno Vasconcelos Carrilho. Limites objetivos e eficácia preclusiva da coisa julgada. São Paulo: Saraiva, 2012. Pg. 110.

continua depois da publicidade

**ARAGÃO, Egas Dirceu Moniz, Sentença e coisa julgada. Exegese do Código de Processo Civil. Rio de Janeiro: Aide, 1992.

A saber, o primeiro e o segundo livro pode ser encontrado para compra na Amazon.

Veja mais significados no nosso Dicionário Jurídico.

Camilla Viriato

Mineira, empreendedora e fundadora do Eu Tenho Direito. Camilla acredita que enquanto houver alguém querendo explicar de um jeito simples, haverá alguém capaz de entender. E é pela harmonia entre informação, inclusão e algoritmos que pauta seus trabalhos.

Camilla Viriato

Mineira, empreendedora e fundadora do Eu Tenho Direito. Camilla acredita que enquanto houver alguém querendo explicar de um jeito simples, haverá alguém capaz de entender. E é pela harmonia entre informação, inclusão e algoritmos que pauta seus trabalhos.

Veja também


>
Success message!
Warning message!
Error message!